sexta-feira, 21 de novembro de 2014

SUSPEITOS DE MATAR MISS HONDURAS E A IRMÃ SÃO MANDADOS PARA PRISÃO

Quatro pessoas tiveram prisão decretada pela Justiça do país.


Cunhado da miss é apontado como autor do duplo assassinato.




Plutarco Antonio Ruiz é escoltado pela polícia ao ser levado ao juiz em Santa Barbara (Foto: ORLANDO SIERRA/AFP)




A Justiça hondurenha decidiu decretar nesta quinta-feira (20) a prisão de quatro pessoas suspeitas de envolvimento no assassinato da Miss Honduras Mundo, María José Alvarado, e sua irmã, Sofía Trinidad, encontradas mortas na quarta-feira (19), informou uma fonte judicial. O funeral das vítimas foi realizado nesta quinta.


Fonte: G1

.

JUSTIÇA BUSCA ACORDOS APÓS BLOQUEAR R$ 48 MILHÕES NO BRASIL

Maior volume de dinheiro foi encontrado em contas do vice-presidente da Engevix.


A Justiça Federal vai buscar nos bancos de países como Suíça, Alemanha, Holanda, China, Estados Unidos, Canadá, Peru e Uruguai a "verdadeira fortuna" que teria sido desviada pelo esquema de corrupção na Petrobras investigado pela operação Lava Jato.
Por decisão do juiz federal Sérgio Moro, foram bloqueados em contas no Brasil R$ 47,8 milhões em nome dos acusados e de empresas ligadas a eles, valor abaixo do previsto pelas autoridades.
As contas pertencem a 14 executivos de empreiteiras sob investigação, ao ex-diretor de Serviços e Engenharia Renato Duque, ligado ao PT, e ao empresário Fernando Antônio Falcão Soares, o Fernando Baiano, apontado como operador do PMDB. Três empresas ligadas a esses dois investigados também são alvo do bloqueio.
A Justiça Federal conseguiu bloquear R$ 3,2 milhões em uma conta de Duque. Outros R$ 8,5 milhões estavam em nome de duas empresas de Fernando Baiano, e R$ 10,2 milhões pertencem ao presidente da UTC Engenharia, Ricardo Ribeiro Pessoa. Para a Polícia Federal, ele é o coordenador do "clube" de empreiteiras que formaram um cartel para fraudar contratos com a estatal.


Suposto operador do PMDB no esquema de propinas da Petrobras depõe hoje
O maior volume de dinheiro foi encontrado em cinco contas do empreiteiro Gérson de Mello Almada: R$ 22,6 milhões. Almada é vice-presidente da Engevix Engenharia.
Moro determinou o embargo de até R$ 20 milhões nas contas brasileiras dos acusados. Parte estava com contas zeradas ou com valores irrisórios. Por isso, há suspeitas de que alguns investigados foram alertados com antecedência e fizeram movimentações financeiras a fim de burlar o bloqueio judicial.
Agora, as autoridades federais da operação Lava Jato vão buscar a identificação das contas mantidas fora do Brasil para fazer acordos de cooperação internacional e tentar, com isso, o bloqueio legal desses valores.
As investigações detectaram contas no exterior em nome de outros envolvidos no esquema e acredita-se que a praxe se repita. No caso do ex-diretor de Abastecimento Paulo Roberto Costa, por exemplo, a maior parte do dinheiro que ele aceitou devolver, cerca de R$ 70 milhões, estava na Suíça. O ex-gerente de Engenharia Pedro Barusco, braço direito de Duque, que concordou em devolver US$ 100 milhões depositados no exterior, teve US$ 20 milhões bloqueados por autoridades suíças. Por ter aceito iniciar um acordo de delação premiada, ele não foi preso.
O bloqueio foi determinado pela Justiça Federal como medida cautelar, tendo como objetivo o ressarcimento ao erário de recursos desviados no esquema de corrupção da Petrobrás





Fonte: R7

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

NOVO PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE ULIANÓPOLIS SERÁ ESCOLHIDO NO DIA 02 DE DEZEMBRO

Morte do fazendeiro Davi Resende encerrou ciclo negro na história do município.


A Câmara de vereadores de Ulianópolis realizará, no dia 02 de dezembro , a eleição para a nova mesa diretora da casa. Até agora, apenas o vereador Wando Zavarize anunciou sua candidatura, representando o grupo da oposição. Por outro lado, o grupo da situação continua a deriva e sem rumo, desde a morte do prefeito Davi Resende, em um naufrágio no rio Xingu.


Desde então, um clima de incerteza ronda o grupo político do fazendeiro. A grande dúvida é saber se Suely Resende, a viúva, vai cuidar da própria vida, ( e do espólio milionário do marido), ou se ainda vai insistir na vida pública. ( vida esta que já deu muitos infortunios para a família Resende).

Como ganância e poder são a marca registrada dessa gente, não se assustem os leitores se Suely Resende apresentar seu nome como candidata a presidente da casa. Caso isto  se confirme, caros leitores, me pergunto quantos sinais divinos ainda serão necessários e quantos ainda precisarão morrer para essa gente entender que a coisa pública pertence a coletividade e não a uma família. 

 Já a destemperada Marta Resende, que hoje é a atual presidente da casa de leis ( administrando o bem público como se fosse uma extensão do quintal de sua casa), simplesmente NÃO EXISTE sem a figura do irmão falecido.

Enrolada até o pescoço em processos de homicídio e dilapidação do erário público, Marta Resende terá agora que meter a mão no bolso para tocar os processos sozinha e tentar uma missão quase impossível : SE LIVRAR DA CADEIA !!! ( fugir também está no rol de possibilidades)

Por outro lado, um vereador medíocre, muito conhecido na cidade, resolveu vender a alma para o diabo, em troca de uns míseros trocados !!!! ( Esse vende a própria mãe para quem der mais). O que o judas não sabe é que as eleições municipais estão as portas, e certamente a fatura será cobrada com juros e correção monetária !!! A sorte está lançada !!!

CNJ AFASTA CORREGEDOR GERAL DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO AMAPÁ


O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) determinou o afastamento do atual corregedor-geral de Justiça do Amapá, Constatino Augusto Tork Brahuma, até que seja finalizado o processo administrativo para apurar supostos desvios funcionais cometidos pelo desembargador.

Brahuma é acusado de interferir no trabalho de magistrados, de adotar medidas de retaliação a juízas, de vazar informações de processos sigilosos em curso no Tribunal de Justiça do Estado do Amapá e de editar atos que poderiam dificultar investigações da corte, entre as quais um processo envolvendo o seu filho, que é advogado.

A decisão foi tomada por unanimidade durante a sessão de terça-feira (18) do CNJ. Segundo a apuração da Corregedoria Nacional de Justiça, Brahuma interferiu no trabalho da juíza substituta da 3ª Vara Criminal de Amapá Marcella Peixoto Smith, que analisava processo sigiloso de lavagem de dinheiro, envolvendo políticos e empresários do estado. Uma das empresas investigadas era representada pelo escritório de advocacia do qual é sócio o filho do desembargador.

De acordo com a corregedoria, Brahuma também solicitou acesso ao processo sigiloso e ameaçou a juíza com a abertura de um processo, caso não fosse cumprido o provimento editado por ele com novas regras para a análise de pedidos de interceptação telefônica. Conforme a apuração, essa ameaça ocorreu depois que a juíza acatou pedido do Ministério Público para quebra de sigilo telefônico do filho do desembargador.

Brahuma é acusado ainda de pressionar a juíza Ilana Luongo a anular decisões tomadas por outra juíza em processos. “A partir dos depoimentos cotejados, extraem-se indícios de que o desembargador tentou interferir na atuação da juíza Ilana e, diante da sua recusa, adotou medidas de represália”, relatou a ministra Nancy Andrighi, corregedora nacional de Justiça.

APRESENTADORA ANA PAULA PADRÃO FLAGRADA SEM CALCINHA NO THE NOITE




Foto: Reprodução / Exclusivo.blog.br
A apresentadora Ana Paula Padrão foi flagrada sem calcinha pelas câmeras do SBT durante o programa The Noite.




BANDIDOS ROUBAM BOI E COLOCAM ANIMAL NO BANCO DE TRÁS DE UM VEICULO DE PASSEIO

Para quem pensa que já viu de tudo veja está notícia inusitada : Uma equipe da polícia ambiental da Paraíba que fazia rondas na zona rural de Santa Rita, Região Metropolitana de João Pessoa, apreendeu um veículo de passeio com um boi sendo transportado no banco traseiro do carro. Dois homens colocaram o animal dentro de um Fiat Uno e tentavam roubá-lo quando foram abordados pelos policiais.

A apreensão do veículo aconteceu no último sábado (15), mas as imagens do caso inusitado só foram divulgadas nesta segunda-feira (17). De acordo com os policiais que faziam a ronda, a ação foi percebida pela equipe e os dois suspeitos perseguidos, mas a dupla acabou abandonando o veículo com o boi dentro e fugiram correndo do local.

MISS HONDURAS E SUA IRMÃ SÃO ASSASSINADAS POR NAMORADO ENCIUMADO



A Miss Honduras Mundo 2014, María José Alvarado, de 19 anos, e sua irmã, Sofía Trinidad, desaparecidas desde o dia 13 de novembro na província ocidental de Santa Bárbara, foram encontradas mortas nesta quarta-feira, segundo informou uma fonte oficial. A polícia hondurenha prendeu na terça-feira dois homens suspeitos do desaparecimento da atual Miss Honduras, María José Alvarado, de 19 anos, e sua irmã Sofía Trindade. A candidata do concurso de beleza Miss Universo deveria viajar a Londres para continuar sua participação, mas na noite de quinta-feira entrou com a irmã em um carro sem placa no oeste do país. Foi a última vez que foram vistas.

Um dos detidos, segundo confirmou uma fonte policial à agência Efe, é o namorado da irmã, Plutarco Ruiz, de 28 anos, cuja festa de aniversário aconteceu na noite do desaparecimento das jovens. A mãe de ambas, Teresa Muñoz, pediu que as autoridades investiguem Ruiz, uma das últimas pessoas que esteve com elas.

O homem foi detido no município de São Vicente, departamento de Santa Bárbara, conforme informou o chefe da polícia local José Casco Torres. Os agentes prenderam ainda Aris Valentín Maldonado, amigo de Ruiz, que também será investigado. Ambos são suspeitos de privar as duas jovens de liberdade. Torres esclareceu que não são descartadas mais detenções.
Moradores de Santa Bárbara fazem manifestação pública contra o desaparecimento das irmãs Alvarado. / AFP

Duas armas de fogo e dois veículos foram apreendidos com os detidos, disse Torres. Por outro lado, antes de ser conhecido o assassinato, o titular da Direção Nacional de Investigação Criminal (DNIC), Leandro Osorio, disse que a investigação descartava o motivo de sequestro "porque ninguém pediu dinheiro em troca" da aparição das irmãs Alvarado.

O apresentador de televisão hondurenho Salvador Nasralla, que animou a festa do Miss Honduras na qual María José foi coroada, em abril, informou na segunda-feira que a viagem da concorrente estava prevista para esta quarta-feira, mas que os organizadores locais devem informar sobre sua situação à produção em Londres.
Aris Valentín Maldonado e Plutarco Ruiz (direita), namorado da irmã da Miss Honduras, depois de detidos. / STR (AFP)

“O representante do Miss Universo daqui vai ter que dizer a eles que ela não viajará”, disse Nasralla. “Isso não vai provocar muita estranheza entre os organizadores porque todo os dias se lê sobre gente que desaparece ou que é assassinada”.

Honduras tem o maior índice de homicídios do mundo, com 90,4 assassinatos por 100.000 habitantes – quase o dobro de países que também sofrem com altas taxas de criminalidade, como a Venezuela e El Salvador. Os cartéis da droga do México expandiram-se em Honduras nos últimos anos, transformando o país em uma rota importante do tráfico de cocaína da América do Sul para os Estados Unidos, e gerando um aumento da violência.

CRATERA DEIXA MOTORISTAS ILHADOS NO SUL DO PARÁ


A Rodovia BR 155 está cortada a altura de Xinguara, a 1 quilômetro da cidade, devido ao rompimento do aterro sobre o Córrego Sebozinho, um afluente do Rio Mariazinha.
XINGUARA 1
De acordo com informações, o aterro se rompeu por volta das 3 horas da manhã desta quarta-feira (19/11/14), deixando o tráfego de veículos completamente interrompido. O motivo foi a chuva torrencial que desabou sobre a cidade e região enchendo rios e córregos.
xx3
A força das águas rompeu a tubulação de aço e as cabeceiras de concreto do aterro deixando tudo destruído. A cratera aberta na pista mede em torno de 20 metros de largura, e no local não passa ninguém, nem pedestres conseguem passar de um lado para o outro da estrada. Não há expectativa de quando o local será consertado pelo DNIT.

NO PARÁ, PEDIDO DE CPI DOS GRUPOS DE EXTERMÍNIO JÁ TEM 13 ASSINATURAS

A proposta de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar Grupos de Extermínio no Pará já conta com a adesão de treze deputados do estado, e agora depende de apenas uma assinatura para atingir o número mínimo determinado pelo regimento interno da Assembleia Legislativa do Pará (Alepa).
Para o deputado Edmilson Rodrigues (PSOL), que protocolou o pedido da CPI no último dia 11, uma das funções da comissão parlamentar é valorizar o trabalho de investigação e ouvir outras testemunhas sobre o caso da chacina ocorrida entre os dias 4 e 5 de novembro em Belém. Onze mortes foram registradas em cinco bairros da periferia da cidade. "Estamos há 15 dias sem uma resposta concreta da investigação policial. Temos que apurar se estão usando o poder de arma para tirar vidas humanas", declarou o deputado.
Organizações sociais e entidades ligadas aos direitos humanos pediram a instalação da CPI durante uma manifestação realizada para lembrar as vítimas da chacina. Para justificar a instalação da CPI na Alepa, o deputado ressaltou as estatísticas que colocam o Pará como o 7o mais violento do Brasil e a cidade de Belém como a 23a mais violenta do mundo. "É insustentável. O ser humano precisa ser tratado com dignidade", disse Edmilson.
O requerimento para a instalação da CPI já conta com as assinaturas dos deputados Edmilson Rodrigues (PSOL), Carlos Bordalo (PT), Airton Faleiro (PT), Valdir Ganzer (PT), Edilson Moura (PT), Milton Zimmer (PT), Zé Maria (PT), Parsifal Pontes (PMDB), Simone Morgado (PMDB), Martinho Carmona (PMDB), Antônio Rocha (PMDB), Josefina Carmo (PMDB) e Chicão (PMDB).


Organizações sociais e de direitos humanos cobram "CPI das milícias" em Belém. (Foto: Luana Laboissiere/ G1)


Fonte: G1 PA.

MORRE EX-MINISTRO THOMAZ BASTOS

 Advogado criminalista estava internado em São Paulo desde o dia 18 de novembro


    


Thomaz Bastos estava internado no Sírio-Libanês desde o dia 18 de novembro Antonio Cruz/25.06.2009/ABr

O advogado e ex-ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos morreu na manhã desta quinta-feira (20), em São Paulo, aos 79 anos. A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa do Hospital Sírio-Libanês, onde Thomaz Bastos estava internado para tratamento de descompensação de fibrose pulmonar desde a última terça-feira (18).
Em 2007, Thomaz Bastos já havia tratado um câncer no pulmão. O Sírio-Libanês não divulgou mais detalhes sobre a morte do ex-ministro.
Bastos foi ministro da Justiça entre 2003 e 2007 durante o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Nos últimos meses, defendia as empreiteiras Camargo Corrêa e a Odebrecht no caso da operação Lava Jato.
No julgamento do mensalão, Bastos defendeu ex-dirigentes do Banco Rural e defendeu o bicheiro Carlinhos Cachoeira na época da CPI que investigava as ações do contraventor.  


Trajetória :
Natural de Cruzeiro, no interior paulista, Bastos formou-se em direito pela USP (Universidade de São Paulo) em 1958, tendo atuado no ramo do direito criminal. O ex-ministro foi vereador pelo PSP (Partido Social Progressista) na sua cidade natal de 1964 a 1969. Foi representante das entidades de classe dos advogados, presidindo a seccional paulista da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) entre 1983 e 1985.
Entre ações dele quando esteve à frente da pasta, destacam-se a aprovação do Estatuto do Desarmamento, em 2003 e a aprovação da Emenda Constitucional n° 45, conhecida como a Reforma do Poder Judiciário, em 2004.


Fonte: R7.

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

TRIBUNAL CASSA PREFEITO E VICE DE CONCÓRDIA DO PARÁ

Foto: ReproduçãoFoto: Reprodução
O Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE) cassou nesta terça-feira (18) o prefeito e vice-prefeito de Concórdia do Pará, Antônio Nascimento Guimarães e Elielton Coradassi, ambos do PSDB, por abuso de poder econômico e compra de votos na eleição de 2012.A Justiça Eleitoral deverá realizar nova eleição na cidade após o julgamento dos recursos. O placar foi de 2 votos a 1 pela cassação. 

Segundo a denúncia feita à justiça, o candidato a vereador eleito Walber Nogueira e Silva Junior, conhecido como Júnior Martins, acompanhado de um homem de nome Laudir, teriam oferecido dinheiro para eleitores votarem no vereador e no candidato a prefeito Antônio Guimarães.

Foram apresentadas gravações de conversas para comprovar a compra de votos. A denúncia da Coligação Majoritária Concordia no Caminho Certo (PRB / PDT / PT / PMDB / DEM / PV / PPL / PT do B) também mencionava aluguel de veículos para captação de votos.

As provas foram desconsideradas pelo juiz de primeiro grau que julgou a extinção da ação por considerar a prova ilícita. A coligação recorreu e o desembargador Raimundo Holanda Reis manteve a sentença. No entanto, o juiz Agnaldo Souza Corrêa condenou o prefeito e o vice por abuso de poder econômico, excluindo o crime de compra de votos. O vereador Júnior Martins também foi excluído da condenação.

Hoje o juiz Marco Antônio Castelo Branco, que pediu vistas da matéria, disse que para ele ficou clara a a distribuição de dinheiro e as provas são suficientes para que prefeito e vice fossem condenados com a perda de mandato, não apenas por abuso de poder econômico, como também por compra de votos.
A defesa do prefeito e vice-prefeito informou que vai recorrer da sentença e entrará com pedido de concessão de liminar para garantir a permanência dos dois no cargo até o julgamento dos recursos.

TESTEMUNHA CHAVE, SUPOSTO OPERADOR DO PMDB DEPÕE HOJE

PF também deve ouvir executivos ligados à empreiteira Camargo Corrêa


A PF (Polícia Federal) prossegue hoje (19) com os depoimentos de presos na sétima fase da operação Lava Jato, que apura desvios de recursos na Petrobras.
Devem prestar depoimento hoje executivos ligados à empreiteira Camargo Corrêa, além de Fernando Soares, conhecido como Fernando Baiano, que se entregou ontem (18) à PF após permanecer foragido desde a última sexta-feira (14), quando as prisões foram decretadas. As oitivas ocorrem na Superintendência da PF em Curitiba.
Em depoimentos de delação premiada, ele foi citado pelo doleiro Alberto Youssef como arrecadador de propina do suposto esquema para o PMDB.
O partido nega as acusações e afirma que Soares não tem ligações com a legenda. A PF confirma que ainda não concluiu se ele atuou de fato como lobista.





Fonte: R7.

SUSPEITOS DE LATROCÍNIO SÃO PRESOS EM XINGUARA, PA.

Proprietário de uma oficina de carros foi assassinado durante assalto.
Dois homens que trabalhavam com a vítima foram presos.



Dois homens foram presos nesta terça-feira (18) no município de Xinguara, no sudeste do Pará, suspeitos de envolvimento com a morte do proprietário de uma oficina de carros no município. Segundo informações da Polícia Civil, os dois suspeitos detidos trabalhavam com a vítima na oficina.
A equipe da Polícia Civil no município constatou no local do crime que a vítima foi assassinada a golpes de facão durante um assalto e foi enterrada em uma estrada vicinal a cerca de 3km do distrito de São José, onde moravam os envolvidos no caso. Com base nas investigações, os suspeitos foram autuados por latrocínio.


Fonte: G1 PA.

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

DUAS MULHERES MORREM E DUAS CRIANÇAS ESTÃO DESAPARECIDAS APÓS NAUFRÁGIO NO PARÁ

Duas mulheres morreram e duas crianças estão desaparecidas após o naufrágio da embarcação "Coração do Mar" no domingo (17), na ilha do Jutuba, em Belém (PA).
O barco transportava 40 pessoas para a ilha de Jutuba, onde acontecia o Festival do Açaí, quando começou a encher de água.
Uma mulher de 30 anos foi achada morta ainda no domingo. Nesta segunda-feira (17), ribeirinhos encontraram o corpo da idosa de 80 anos. Duas crianças, de seis e dois anos, estão desaparecidas.
Segundo o Corpo de Bombeiros, a embarcação estava irregular e não poderia fazer esse tipo de transporte.



Fonte: R7

MPF RECORRE CONTRA ABSOLVIÇÃO DE DELEGADO PELA MORTE DE ÍNDIO NO PARÁ

Adenilson Kixiri Munduruku foi executado com um tiro na nuca.
Assassinato ocorreu durante operação de combate ao garimpo ilegal.

O Ministério Público Federal do Pará (MPF) recorreu contra a sentença que absolveu um delegado da Polícia Federal pela morte do índio Adenilson Kirixi Munduruku, em novembro de 2012. A vítima foi executada com um tiro na nuca durante uma operação de combate ao garimbo ilegal na terra indígena Munduruku, localizada às margens do rio Teles Pires.
Segundo o MPF, a apelação foi aceita pela Justiça Federal de Itaituba e deverá ser encaminhada ao Tribunal Regional Federal da 1a Região, em Brasília, após a manifestação do acusado. O processo corre atualmente em segredo de justiça, pela existência de menores como testemunhas no caso.
Processo
O acusado foi dispensado de enfrentar o tribunal do júri. Para o MPF, a sentença sumária violou o devido processo legal por deixar de analisar todas as provas que apontam que a vítima foi executada pelo delegado da PF com um tiro na nuca, desconsiderando todos os atos procedimentais necessários.


Morte
Adenilson foi assassinado com um tiro na nuca, depois de receber três tiros nas pernas, no dia 7 de novembro de 2012. De acordo com o MPF, todas as testemunhas indígenas da investigação apontam o delegado como autor do tiro fatal e a única agressão comprovada ao delegado Antônio Carlos teria sido um empurrão, que o fez escorregar para dentro do rio, de onde passou a atirar contra os índios, inclusive mulheres, idosos e crianças.

“Depois que o delegado empurrou essa liderança na qual ele iria atirar, o segurança do cacique empurrou o braço do delegado e ele escorregou e caiu na água, pois a área tem declive e o chão é liso, de barro. Foi a partir daí que começou o tiroteio. Nenhum indígena estava com arma de fogo. Os dois primeiros tiros contra a vítima foram dados pelo delegado, que ainda estava dentro da água, que estava pela cintura. Vários policiais começaram a atirar contra os indígenas que estavam no local. Três tiros acertaram as pernas da vítima Adenilson Kirixi, que perdeu o equilíbrio, caindo na água. Nesse momento o delegado, que ainda estava dentro da água, deu um tiro na cabeça da vítima, que já caiu morta e afundou no rio”, disse um dos índios testemunhas no processo.

Recurso
A apelação do MPF afirma que "ainda que houvesse perigo representado pela vítima em desfavor do acusado, a ação deste não guardou a proporcionalidade exigida, na medida em que os primeiros disparos atingiram região não letal da vítima o que era suficiente para anular qualquer ato de violência eventualmente tencionada por esta".

Os procuradores da República responsáveis pelo caso afirmam que a sentença padece de equívoco próprio de uma sociedade etnocêntrica. “É evidente que o juiz não manteve a distância necessária para analisar os fatos de forma objetiva e neutra. O magistrado utilizou apenas parte das provas constantes das peças de informação que acompanharam a denúncia”, dizem no recurso.
O MPF reforça que não existe comparação entre os instrumentos de defesa portados pelos Munduruku correlacionados à tradicionalidade de sua cultura, com aqueles portados pelo grupo de policiais fortemente armado com armamento de alto poder de destruição.

Fonte: G1 Pará.

 

domingo, 16 de novembro de 2014

ASSISTÊNCIA SOCIAL PAGAVA CERVEJA DO VEREARDOR FILHO DO PREFEITO EM CONCEIÇÃO DO ARAGUAIA.

Novas denúncias contra o prefeito afastado de Conceição do Araguaia, Valter Rodrigues Peixoto (PT), vieram à tona na última semana. Desta feita, elas partem do secretário de Assistência Social, Leniel Augusto. A pasta, antes era ocupada pela primeira-dama, Neta Peixoto, e o atual titular descobriu notas de compras de caixas de cerveja, caixas de bombons e caixas de refrigerantes, tendo como destinatário o vereador Sharles Peixoto (PT), filho do gestor e da secretária afastados.
As notas, segundo Augusto, são assinadas por Neta Peixoto e as despesas pagas com o dinheiro da Assistência Social, totalizam R$ 935,40. O secretário denuncia ainda que R$ 22.714,20, também da mesma pasta foram depositados em contas de diversos servidores, por “serviços prestados”, e R$ 7.813,65 pagaram óleo diesel consumidos pelo vereador.
Valter Peixoto está afastado do cargo por decisão da Justiça Estadual, depois de denúncias de irregularidades em licitações e outras negociatas com o dinheiro público.

Fonte: Hiroshi Bogea.

'TRIO CANIBAL' É CONDENADO À PRISÃO POR HOMICÍDIO EM PERNAMBUCO.

Após dois dias de julgamento, os três réus acusados de canibalismo em Pernambuco foram condenados à prisão, nesta sexta-feira, pelo assassinato da jovem Jéssica Camila Silva, na cidade de Olinda, em 2008. A condenação aconteceu por maioria dos votos do júri popular formado por sete pessoas. Jorge Beltrão Negromonte da Silveira, considerado o mentor do grupo, foi condenado a 21 anos e 6 meses de prisão e a 1 ano e 6 meses de reclusão. Isabel Cristina da Silveira e Bruna Cristina Oliveira da Silva, que formavam com Jorge um triângulo amoroso, foram condenadas a 19 anos de reclusão e 1 ano de detenção, cada. Os advogados dos réus anunciaram que irão recorrer da decisão.
Os três acusados foram responsabilizados por matar a vítima a facadas, esquartejá-la e comer pedaços da sua carne, devido a uma seita denominada “Cartel”, criada pelo trio. A pena foi estabelecida pela juíza Maria Segundo Gomes, que considerou que os réus apresentam comportamento inadequado em sociedade. Na sentença, ela destacou a prática do canibalismo, que ganhou repercussão internacional.

- Os jurados entenderam que os réus eram culpados, depois de analisar todos os critérios de antecedentes, culpabilidade, comportamento e todas as circunstâncias. O perfil que consta nos autos é de que eles apresentam comportamento irregular na sociedade, personalidade diferenciada do cidadão comum. Ainda tem a questão do clamor público que o crime causou e a periculosidade que eles apresentam em convívio em sociedade - destacou o juíza.

A pena máxima que poderia ser aplicada aos réus seria de 30 anos de reclusão. Entretanto, a confissão do crime e a falta de antecedentes criminais foram responsáveis por atenuar a sentença.

A denúncia dos réus à Justiça foi feita pelo Ministério Público de Pernambuco (MPPE), por homicídio quadruplamente qualificado (por motivo torpe, meio cruel, impossibilidade de defesa da vítima e com a finalidade de assegurar a realização de outras práticas criminosas), vilipêndio (prática cometida contra o corpo de um ser humano) e ocultação de cadáver.

Para a promotora Eliane Gaia, responsável pela acusação, os réus não poderiam receber penas leves devido aos crimes com requintes de crueldade que foram detalhados. Além do crime em Olinda, eles ainda respondem a outros processos, sobre mais duas vítimas assassinadas na cidade de Garanhuns, no Agreste pernambucano, em 2012. Foi através desses crimes que a prática do grupo chegou ao conhecimento popular.

O júri não concordou com o argumento da defensora pública Tereza Joacy sobre uma possível esquizofrenia de Jorge para pedir diminuição de pena. A doença mental foi descartada através do laudo oficial. Tanto o advogado Paulo Sales, que defendeu Isabel Cristina, quanto o defensor Rômulo Lyra, representando Bruna Cristina, pediram ao júri que levasse em consideração a “coação moral irresistente” sofrida pelas duas acusadas. Para a defesa, as duas mulheres eram controladas por Jorge e não conseguiam agir de forma diferente da dele. Todos afirmaram que irão recorrer da pena. O trio seguiu para unidades prisionais no Grande Recife.

CRIME CRUEL E DEPOIMENTOS


O assassinato de Jéssica Camila da Silva Pereira foi o terceiro descoberto e atribuído pela Polícia pernambucana ao trio, após os restos mortais de duas mulheres terem sido encontrados, em 2012, na casa dos réus, em Garanhuns. Com os três, morava uma menina de 5 anos, filha de Jéssica Camila e que teria chegado a comer a carne da mãe.

Através da seita Cartel, as vítimas eram assassinadas com um golpe de faca no pescoço e esquartejadas. Depois do crime, uma parte do corpo era enterrada, e outra era guardada em refrigeradores para ser consumida depois como alimento normal.

O julgamento dos “Canibais de Garanhuns” foi marcado pelos detalhes relatados pelos acusados sobre os crimes que cometeram. Nos depoimentos, eles revelaram que escolhiam as vítimas para “purificar o mundo” e fazer o “controle populacional”. De acordo com a seita Cartel, mulheres que não tinham muitos filhos e não tinham condições de criá-los deveriam ser eliminadas.

 

 Fonte: O Globo.

sábado, 15 de novembro de 2014

PF PRENDE NA LAVA JATO EX-DIRETOR DA PETROBRAS E EXECUTIVOS DE EMPRESAS.

Renato Duque é preso na sétima fase da operação, deflagrada nesta sexta.
Presidentes de grandes empreiteiras são alvos de mandados de prisão.

A Polícia Federal deflagrou nesta sexta-feira (14) a sétima fase da Operação Lava Jato, cumprindo mandados de prisão e busca e apreensão no Paraná, em São Paulo, no Rio de Janeiro, em Minas Gerais, em Pernambuco e no Distrito Federal. A Petrobras está no centro das investigações da Lava Jato, desencadeada em março para desmontar um suposto esquema de lavagem de dinheiro que teria movimentado R$ 10 bilhões, segundo a Polícia Federal.
A Polícia Federal informou que, até as 18h20, 18 pessoas tinham sido presas – a PF cumpriu quatro de seis mandados de prisão preventiva; 13 de 21 mandados de prisão temporária; e seis de nove mandados de condução coercitiva (veja a lista dos mandados no final desta reportagem). Além desses, foram cumpridos 39 mandados de busca e apreensão.
Um dos detidos nesta sexta-feira pelos 300 agentes federais envolvidos na operação é o ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque. Entre os alvos dos mandados de prisão, estão executivos de grandes empreiteiras (leia mais abaixo as versões da empresas), entre os quais os presidentes da Camargo Correa, Dalton dos Santos Avancini; da OAS, José Aldemário Pinheiro Filho; e da Queiroz Galvão, Ildefonso Colares Filho.
Indicado para o cargo pelo PT, Renato Duque foi preso em casa, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, e conduzido para a superintendência local da Polícia Federal. Em depoimento à PF e ao Ministério Público no mês passado, o ex-diretor de Refino e Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa, que fez acordo de delação premiada e atualmente cumpre prisão domiciliar, disse ter conhecimento de irregularidades praticadas na Diretoria de Serviços, na época em que foi comandada por Duque.
Nota divulgada pela assessoria do advogado de Renato Duque, Alexandre Lopes, informou que o ex-diretor foi preso temporariamente pelo período de cinco dias. Segundo o texto, não há "ação penal ajuizada contra Renato Duque" e a "prisão é injustificada e desproporcional". A nota diz, ainda, que já havia sido realizada colheita de provas com Duque e que ele se colocou à disposição para prestar esclarecimentos.
Também foram expedidos, segundo a Polícia Federal, mandados de prisão de funcionários das empresas Camargo Correa, OAS, Mendes Junior, Engevix e Galvão Engenharia, UTC e IESA, além de mandados de busca e apreensão nas sedes das empresas Queiroz Galvão, IESA, Galvão Engenharia, Camargo Correa, OAS, UTC/Constran, Odebretch, Mendes Júnior e Engevix.

Um avião da Polícia Federal decolou de Brasília nesta sexta para recolher os suspeitos e levá-los para a superintendência da PF em Curitiba, onde está sendo centralizada a operação.
Em entrevista coletiva concedida em Curitiba, os delegados da PF responsáveis pela operação informaram que as prisões tiveram foco nos executivos das empresas que celebraram contratos com a Petrobras nos últimos anos. De acordo com a PF, os presos são "agentes secundários" que tinham envolvimento com doleiros integrantes do esquema criminoso.
Todos os investigados ainda não encontrados, esclareceram os delegados, já tiveram seus nomes registrados no sistema da Polícia Federal e estão impedidos de deixar o país. Os nomes dos investigados com mandado de prisão preventiva também foram incluídos na lista de alerta vermelho da Interpol.
A Polícia Federal informou que um dos mandados de prisão temporária expedidos é o do lobista Fernando Soares, conhecido como "Fernando Baiano". Segundo a PF, ele não foi encontrado pelos policiais que atuam na operação e já é considerado foragido.

Em depoimento em outubro, o doleiro Alberto Youssef mencionou à Justiça Federal do Paraná que Fernando Baiano operava a cota do PMDB no esquema de corrupção que tinha tentáculos na Petrobras. O doleiro afirmou à Justiça que o lobista fazia a ponte entre a construtora Andrade Gutierrez com a estatal do petróleo. A assessoria de Michel Temer, presidente nacional do partido e vice-presidente da República, informou nesta sexta que o lobista “nunca teve contato institucional com o partido".


Bloqueio de bens

Segundo a PF, os envolvidos responderão, de acordo com suas participações no esquema, pelos crimes de organização criminosa, formação de cartel, corrupção, fraude à Lei de Licitações e lavagem de dinheiro.

Ainda de acordo com a Polícia Federal, foi decretado o bloqueio de aproximadamente R$ 720 mihões em bens pertencentes a 36 investigados. Além disso, o juiz federal Sérgio Moro, que está julgando a Lava Jato na primeira instância, autorizou o bloqueio integral de recursos financeiros de três empresas que seria de propriedade de um dos operadores do esquema criminoso.
As buscas e apreensões feitas nesta sexta, explicou a assessoria de imprensa da Receita Federal, servirão para promover eventuais ações fiscais em decorrência de supostos pagamentos de serviços que possam não ter sido prestados, como “assessorias” ou “consultorias”. Conforme a Receita, os valores desses supostos serviços, contabilizados como "custos operacionais", reduziriam de forma fraudulenta a base de cálculo de tributos.

Contratos suspeitos

Os principais contratos da Petrobras sob suspeita são a compra da refinaria de Pasadena, nos EUA, que teria servido para abastecer caixa de partidos e pagar propina, e o da construção da refinaria de Abreu e Lima, em Pernambuco, da qual teriam sido desviados até R$ 400 milhões.

Segundo depoimento de  Paulo Roberto Costa, o PT recolhia para o seu caixa 100% da propina obtida em contratos das diretorias que a sigla administrava, como, por exemplo, as de Serviços, Gás e Energia e Exploração e Produção. Na delação premiada, o ex-diretor de Abastecimento contou que, se o contrato era de uma diretoria que pertencia ao PP, o PT ficava com dois terços do valor e o restante era repassado para a legenda aliada. Os partidos negam as acusações.

Mandados judiciais

Veja a lista de mandados de prisão e de condução coercitiva expedidos pela Justiça Federal do Paraná:


Mandados de prisão preventiva:
Eduardo Hermelino Leite (vice-presidente da Camargo Correa)
José Ricardo Nogueira Breghirolli (funcionário da OAS, em São Paulo-SP)
Agenor Franklin Magalhães Medeiros (diretor-presidente da Área Internacional da OAS)
Sérgio Cunha Mendes (diretor-vice-presidente-executivo da Mendes Junior)
Gerson de Mello Almada (vice-presidente da Engevix)
Erton Medeiros Fonseca (diretor presidente de Engenharia Industrial da Galvão Engenharia)

Mandados de prisão temporária
João Ricardo Auler (presidente do Conselho de Administração da Camargo Correa)
Mateus Coutinho de Sá Oliveira (funcionário da OAS, em São Paulo-SP)
Alexandre Portela Barbosa (advogado da OAS)
Ednaldo Alves da Silva (funcionário da UTC, em São Paulo-SP)
Carlos Eduardo Strauch Albero (diretor técnico da Engevix)
Newton Prado Júnior (diretor técnico da Engevix)
Dalton dos Santos Avancini (presidente da Camargo Correa)
Otto Garrido Sparenberg (diretor de Operações da IESA)
Valdir Lima Carreiro (diretor-presidente da IESA)
Jayme Alves de Oliveira Filho
Adarico Negromonte Filho
José Aldemário Pinheiro Filho (presidente da OAS)
Ricardo Ribeiro Pessoa (responsável pela UTC Participações)
Walmir Pinheiro Santana (responsável pela UTC Participações)
Carlos Alberto da Costa Silva
Othon Zanoide de Moraes Filho (diretor-geral de Desenvolvimento Comercial da Vital Enenharia, empresa do Grupo Queiroz Galvão)
Ildefonso Colares Filho (diretor-presidente da Queiroz Galvão)
Renato de Souza Duque (ex-diretor da Petrobras)
Fernando Antonio Falcão Soares

Mandados de condução coercitiva
Edmundo Trujillo (diretor do Consórcio Nacional Camargo Correa)
Pedro Morollo Júnior (funcionário da OAS, em Jundiaí-SP)
Fernando Augusto Stremel Andrade (funcionário da OAS, no Rio de Janeiro-RJ)
Ângelo Alves Mendes (funcionário da Mendes Júnior, em Belo Horizonte-MG)
Rogério Cunha de Oliveira (funcionário da Mendes Júnior, em Recife-PE)
Flávio Sá Motta Pinheiro (diretor administrativo e financeiro da Mendes Júnior)
Cristiano Kok (presidente da Engevix)
Marice Correa de Lima (funcionária da OAS, em São Paulo-SP)
Luiz Roberto Pereira.


Onde a PF atuou

Saiba onde a Polícia F.ederal cumpriu mandados judiciais nesta sexta:

Paraná – Dois mandados de busca e apreensão e um de prisão preventiva, em Curitiba.
Distrito Federal – Um mandado de busca e um de prisão preventiva.
Minas Gerais – Dois mandados de busca e apreensão, em Belo Horizonte.
Pernambuco Dois mandados de busca e apreensão, em Recife.
Rio de Janeiro – Onze mandados de busca e apreensão, dois de prisão preventiva e quatro de prisão temporária.
São Paulo – Na capital paulista, 29 mandados de busca e apreensão, dois mandados de prisão preventiva, 15 de prisão temporária e nove de conduções coercitivas. Em Jundiai, no interior paulista, os agentes federais devem cumprir um mandado de busca e um de prisão temporária. Em Santos, no litoral paulista, há um mandado de busca e apreensão e um de prisão temporária.




POLÍCIA FEDERAL DEFLAGRA OPERAÇÃO CONTRA FRAUDE NO ENEM CE, PB e PI

Ação cumpre mandados de prisão, busca e apreensão.
Duas pessoas foram presas em Juazeiro do Norte neste fim de semana.

A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta sexta-feira (14) uma operação para cumprir quatro mandados de prisão e nove de busca e apreensão nos estado do Ceará, Paraíba e Piauí. A operação Apollo investiga uma quadrilha que frauda o Exame Nacional do Ensino Médio, vestibulares e ingresso em universidades públicas pelo sistema de cotas.
A atuação da quadrilha tem como centro a região do Cariri, no sul do do Ceará, e se estende para outros estados, segundo a Polícia Fedeeral. As fraudes beneficiam candidatos interessados em ingressar em medicina em universidades públicas.
A investigação da Superintendência da Polícia Federal no Ceará começou há 13 meses e pretende também identificar todos os beneficiados no esquema nas edições do Enem de 2013 e 2014.
No sábado (8), houve a prisão em flagrante de duas pessoas suspeitas de passar "cola" do Enem em Juazeiro do Norte pelo celular.
Segundo a Polícia Federal, o órgão responsável pela realização das provas do Enem, o Inep, "tem colaborado com as investigações desde o ano passado, fornecendo as informações necessárias à identificação dos investigados e à elucidação da fraude". Os presos foram indiciados pela prática dos crimes de fraudes em certames públicos e organização criminosa.
 
Vazamento

A polícia ainda não informou se a operação também envolve as denúncias de vazamento de imagens da prova de redação antes da realização do teste no domingo (9). O órgão concede coletiva neste momento em Fortaleza para fornecer mais detalhes da operação.

Três alunos do Ceará disseram nesta quinta-feira (13) que também receberam antecipadamente o tema da redação do Enem 2014. Eles conversaram com o G1 e informaram que mensagens pelo celular com o tema "Publicidade Infantil no Brasil" foram enviadas a eles, de forma similar ao que ocorreu com  estudantes do Piauí.  No Piauí, a Polícia Federal e o MPF-PI abriram inquérito para investigar o caso. No Ceará, até esta quinta não havia denúncias do gênero na Polícia Federal ou MPF.
Um dos alunos declarou ao G1 que viu uma mensagem às 15 horas no celular via  WhatsApp, com o tema. "Não me beneficiei porque eu não sabia que era realmente o tema da redação. Mas a pessoa que recebeu primeiro teve tempo para se preparar e sabia que seria o tema da redação", disse o aluno, que não quis se identificar. Ele recebeu a imagem da prova às 10h50, mas só checou a mensagem depois que deixou o local do exame.
O ministro da Educação, Henrique Paim, disse nesta quinta-feira (13) que o MEC está "seguro de que o processo está sendo muito bem conduzido e ao longo desse período todo de aplicação da prova, não tivemos nenhum problema".
O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pelo Enem, informou em nota que "não existe qualquer indício" de que o tema tenha vazado, mas reforçou que a denúncia será apurada "com rigor".

Prisões no domingo

No domingo (9), a Polícia Federal prendeu duas pessoas suspeitas de passar o gabarito do exame em mensagens no celular em Juazeiro do Norte. Elas foram autuadas pelo crime de fraude em concurso de interesse público.

Os candidatos presos se inscreveram com sabatistas, que fazem o exame em horário diferenciado. "Eles foram presos com os gabaritos das provas nos celulares. Ainda não podemos saber como eles tiveram acesso, estamos no começo da investigação", disse, neste fim de semana, a delegada da Polícia Federal Andréia Assunção, responsável pela segurança do Enem no Ceará.
Os presos foram liberados após pagamento de fiança no valor de R$ 6 mil e vão aguardar o julgamento. Se condenados, eles podem pegar pena de um a quatro anos de prisão. O crime ocorreu na noite de sábado (8) e divulgado neste domingo (9).

Vazamento na edição 2011

Em 2011, uma escola privada de Fortaleza teve acesso antecipado a 16 questões do Enem, que foram compartilhadas entre os alunos. Os candidatos que tiveram acesso prévio tiveram as questões anuladas.

Na época, o Ministério Público Federal chegou a pedir a anulação da prova, mas a Justiça não deu decisão favorável ao procurador Oscar Costa Filho.

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

JULGAMENTO DOS CANIBAIS DE GARANHUNS SERÁ RETOMADO NESTA SEXTA (14), AS 9H.


Jorge Beltrão, Isabel Pires e Bruna Silva estão sendo julgados pela morte, esquartejamento, ocultação de cadáver e prática de canibalismo contra Jéssica Camila, 17, em 2008. Foto: Annaclarice Almeida/DP/D.A Press
Após dez horas de julgamento, chegou ao fim o primeiro dia de audiência do trio acusado de matar, esquartejar, ocultar o cadáver e praticar canibalismo contra a adolescente Jéssica Camila, em Olinda, há seis anos. A filha da vítima, que estava em poder dos três, na época com dois anos, também teria comido a carne da própria mãe. Nesta quinta-feira (13), pela primeira vez, os acusados conhecidos como 'Canibais de Garanhuns' quebraram o silêncio e se pronunciaram sobre os crimes. O professor de educação física Jorge Beltrão, 53, confessou ter matado a vítima. Por sua vez, as outras acusadas, Isabel Pires, 53, e Bruna Silva, 24, admitiram auxiliar na ocultação do cadáver e apontaram o réu como líder do grupo. A sessão será retomada nesta sexta (14), às 9h.

RELEMBRE O CASO:
 
Jorge Beltrão Negro Monte da Silveira tem 51 anos, é professor de educação física e faixa preta em karatê. Confessou ter assassinado Giselly Helena da Silva, 31, Alexandra Falcão da Silva, 20, e Jéssica Camila da Silva Pereira, 17, para depois se alimentar da carne das vítimas e comercializá-la. O crime contra Jéssica teria acontecido no bairro de Rio Doce, em Olinda, Região Metropolitana do Recife. Os outros dois, mais recentes, em Garanhuns, Agreste pernambucano. Jorge não mantinha boa relação com a família. Segundo seu irmão, Emanuel Beltrão, 55, a casa em que ele morava em Rio Doce, Olinda, antes de se mudar para Garanhuns, havia sido comprada após um golpe financeiro na família. Jorge teria conseguido R$ 80 mil por meio de cartões bancários de um outro irmão. A mãe dele, Zélia Beltrão, responsável por manter a conta desse irmão, portador de problemas mentais, está em choque. Jorge se encontra no Presídio Desembargador Augusto Duque, em Pesqueira, no Agreste, e responderá por homicídio qualificado, ocultação de cadáver e estelionato. Autor do livro Diário de um esquizofrênico, diz sofrer de esquizofrenia.
Isabel Cristina Pires da Silveira tem 51 anos. Casada com Jorge Beltrão há 30 anos, é suspeita de ter assassinado as três jovens e comercializado a carne humana das vítimas nas ruas e nos centros médicos da cidade. Confessou ter participado de outros cinco homicídios, atualmente sob investigação policial. Também alega sofrer de esquizofrenia. Investigada pelos crimes de homicídio qualificado, ocultação de cadáver, estelionato e uso de documentos falsos, Isabel está na Colônia Penal Feminina de Buíque, Agreste de Pernambuco.
Bruna Cristina de Oliveira da Silva, 22, conheceu o casal na adolescência e passou a viver com os dois. Mantinha um relacionamento com Jorge, mas convivia bem com Isabel. Já morando juntos, os três se mudaram para a casa de Rio Doce, em Olinda (possível endereço do assassinato de Jéssica), depois que Jorge deu um golpe de R$ 80 mil na família. Depois da morte de Jéssica, o trio se mudou para a Paraíba, onde teria feito outra vítima. E, no Recife, de acordo com as investigações, outras duas mulheres teriam sido mortas por eles. Ré confessa do assassinato das três jovens, também está na Colônia Penal Feminina de Buíque, Agreste pernambucano, sob acusação de homicídio qualificado, ocultação de cadáver, estelionato e uso de documentos falsos. Está separada das outras presas, por ter declarado sentir falta de comer carne humana, o que teria assustado as demais detentas. 

Fonte: Diário de Pernambuco.